segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Deus não esqueceu de mim

E, tenho certeza, que o Espírito Santo vai ministrar em seu coração.
Diga: - Por que te abate minh’alma? Deus não se esqueceu de mim.
Contudo, muitos, talvez uma, alguns estão céticos, desesperançosos de que, de fato Deus faça alguma coisa, de que fato haja “graça” em seu lar; já tentaram de tudo, mas o gozo, harmonia, salvação, uma história de sucesso, uma restauração ministerial, tudo isto parece muito longe de tornar-se realidade e, claro, promessas feitas parece fugir de nós.
Assim como esta escrita em lamentações de Jeremias 3.17-18: “... esqueci-me que é prosperidade. Por isso digo: Meu resplendor já se foi, bem como tudo que eu esperava do Senhor.”
E, vamos mergulhar nas palavras do Senhor, a fim de entendermos um pouco mais desta palavra.
Decisões que fazem me sentir longe da promessa
Pedro, homem que compartilhou intensamente do ministério de Jesus, acompanhou de perto a multiplicações de pães, milagres sobrenaturais, momento impar ao ser revelado a identidade de Jesus. Mas, resumindo, retornou para sua vida anterior: pescador! Não que isto era humilhante, desprezível. Não!
Mas este não era o propósito de Deus para ele, naquela geração, naquele tempo; podê-lo-ia ter entendido: meu resplendor, minha paixão se foi! Minha atitude é imperdoável, meu erro não tem mais retorno, agora, Deus me rejeitará!
Este é um sentimento que atribuímos ao nosso espírito que por atitudes, por decisões tomamos, nos afastamos da presença de Deus, até de nossa família, nos excluímos de amigos, da igreja, retornamos á caminhos antigos, sem “aquele paixão, a luz, o brilho nos olhos”.

Seja abençoado,

Claudio Pereira - Membro da Comunidade Evangélica de Mesquita - RJ